Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009
5 para a meia noite por Vítor Manuel Palmilha

Assisti com atenção à entrevista de ontem à noite.

Pedro Santana Lopes aparece com um ar jovem e apropriado para o local. Começamos muito, muito bem. Perfeitamente integrado. Mas o melhor vem a seguir.

Segurança, convicção, pragmatismo, serenidade.

Visão de futuro, sem chincana política, criticando o que não faz sentido.

Lisboa precisa de Santana.

Porque Lisboa tem sentido!

Porque faz sentido!



publicado por Vítor Manuel Palmilha às 08:33
link do post | comentar

1 comentário:
De zé sequeira a 4 de Setembro de 2009 às 00:02
A propósito de uma pergunta sacramental: O Bairro Alto?

… quanto ao Bairro Alto, ou, por extensão, a todos os outros locais onde a diversão nocturna é usual, o que faz falta é uma política de conciliação de interesses. Em teoria é uma questão que se torna perfeitamente pacífica, se nos lembrarmos que a memória histórica desses bairros sempre a contemplou.

No entanto os tempos são outros, as exigências de qualidade de vida dos habitantes são (felizmente) maiores e sobretudo mais mediáticas.

Basicamente, o que pode distinguir a gestão casuística, desenvolvida pelo actual executivo da CML, e que se traduziu no aperta (para as 2h) / alarga (para as 3h) dos horários de exploração dos bares, apenas (não se vislumbram outras) com preocupações eleitorais, de uma gestão adequada, é a implicação de todos os envolvidos, numa espiral de ideias construtivas e conciliatórias.

Não há que recear a tentativa de obter o melhor de todas as situações. É que, pese a necessidade que alguns têm em apresentar as questões práticas de vida como guerra entre contrários, os interesses das populações do Bairro Alto, dos comerciantes e dos utentes são sensivelmente os mesmos. Basta lembrarmo-nos do quase desespero que atingiu a zona na época em a novel procura das “docas” quase liquidou o Bairro Alto.

Não nos esqueçamos que muita gente do bairro trabalha para o comércio local, tanto directamente “ao balcão”, como em actividades de manutenção e limpeza, o que faz com que, embora merecendo o devido descanso, não tenham nenhum interesse em matar essa galinha que, não dando ovos de ouro, também os alimenta.

Não tendo a pretensão de possuir a solução, adianto apenas uma ideia: Manutenção e reforço da habitação no bairro e, ao mesmo tempo, horários muito alargados de exploração, quer dos bares, quer do restante comércio e serviços da zona, criando, para isso, barreiras acústicas, fixas ou amovíveis, de material transparente, com a dupla finalidade de permitir o a permanência dos clientes na rua (mesmo em dias de chuva), e proteger do incómodo, causado pelo ruído e até pelo fumo, os que, nos andares superiores, pretendam descansar. Por outras palavras, seria o local ideal para testar o conceito de espaço protegido ao ar livre.

Por tudo o que fez no primeiro mandato como Presidente da CML, Pedro Santana Lopes encarna, quanto a mim, o homem certo, capaz de, com paciência, determinação e capacidade de inovação, levar a bom porto este e outros problemas que diminuem e nossa querida (e linda, apesar de tudo) Lisboa.

josé sequeira



Comentar post

Autores
Pesquisa
 
Posts recentes

T

Vou continuar...com todo ...

2001 ... 2009

Palavra de funcionário

A verdadeira razão

O António pelas Costas

Junta de Freguesia do Ori...

Grandes entrevistas

por uma questão de confia...

O Administrativo e o Admi...

Mais comentados
Últ. comentários
poertooooooooooooooooooooooooo
Foi bom saber que o Campo de Santana vai continuar...
Acho que faz muito bem em continuar...Lisboa pode ...
O mais sensato é votar Santana Lopes. Chega da máq...
Boa tarde Vasco,E um deles voa!!!Ainda vamos vêr, ...
Arquivo

Junho 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

todas as tags

Links
Subscrever feeds